segunda-feira, 10 de junho de 2013

Postado por Vânia Barberan às 13:37    Sem comentários
Essa é uma matéria do site Fechando o Ziper que reproduzo porque o trabalho dessas nutricionistas é muito bome acredito nessas parcerias, ou seja vamos divulgar boas informações, então aproveitem! E tem outra coisa, alguns pacientes podem pensar que sou eu que implico com os embutidos por isso acho bom ler outra opinião.
Lembrem-se caso façam uso desses alimentos, substituam por carne (qualquer uma) assada feita em casa! 
Aqui no Sul temos o pééééssimo hábito de incluir osembutidos na alimentação diária.
É aquela omelete com peito de peru, o sanduíche com peito de frango, a torrada com presunto e queijo… Mas, será que não estamos incluindo também uma bela quantidade de aditivos? E o sódio do qual tanto falam pra evitar?
A leitora Carina super se empolgou (adoraaaamos!) e enviou os rótulos de 6 produtos para que pudéssemos fazer essa comparação:

…Minha última sugestão é sobre embutidos e um novo produto que está no mercado sendo consumido por muita gente: o peito de peru light da Sadia, conhecido por “blanquet”. Todos da minha família estão alucinados!!! ALUCINADOS, sério, meninas! Eu não sei porque, já que continua sendo um embutido, ou estou errada? E por isso, tomei a liberdade de fotografar também outras opções que temos no mercado da mesma linha de embutidos pois fiquei impressionada com as alegações que são bem chamativas, por isso envio a vocês para aquela supercomparada pois também gostaria da opinião de vcs sobre o consumo destes tipos de alimentos: são bons para a saúde?

O que vocês acham? Confira, pois a dúvida dela pode ser a sua ;)
INGREDIENTES

Blanquet de Peru Light Sadia

blanquet sadia1
Peito de peru, água, fécula de mandioca, maltodextrina, sal, proteína de soja, regulador de acidez lactato de sódio, aromas naturais, aromas naturais de pimenta preta, vermelha e branca, aroma natural de fumaça, estabilizantes tripolifosfato de sódio e polifosfato de sódio, antioxidante eritorbato de sódio, realçador de sabor glutamato monossódico, conservador nitrito de sódio, corante carmim.
Esse é o Blaquet que ~alucina~ a família da nossa leitora hehehe. Já viram que é uma quantidade enooorme de produtos, certo? Vamos ver quais são os principais aspectos dos ingredientes:
  • peito de peru está em primeiro lugar, ou seja, é o ingrediente em maior quantidade.
  • No entanto, se somarmos todos os outros ingredientes, o pobre peito de peru sai perdendo coitado. Encontramos a fécula de mandioca como terceiro ingrediente em maior quantidade. A fécula de mandioca, também conhecida em algumas regiões brasileiras como polvilho doce ou goma, é um pó fino branco, inodoro e insípido. Trata-se de polissacarídeo natural, da família química dos carboidratos constituídos de cadeias lineares (amilose) e cadeias ramificadas (amilopectina). Obtém-se a fécula à partir das raízes da mandioca, após descascamento, trituração, desintegração, purificação, peneiramento, centrifugação, concentração e secagem*. Gente, o que isso está fazendo em um alimento que era pra ser “carne”?
  • Encontramos maltodextrina, um carboidrato de alto índice glicêmico. Além disso, também contémproteína de soja! Esses ingredientes não são prejudiciais, mas não esperávamos encontrar nesse tipo de produto. Esse embutido parece uma colcha de retalhos, viu?! Inclusive, a proteína de soja aparece em TODOS os embutidos analisados.
  • Os prejudiciais vem agora! Uma lista imeeeensa de aditivos alimentares, os quais incluem oglutamato monossódico. Ele é bastante utilizado na indústria de alimentos (em salsichas, carnes, temperos prontos…) e, por isso, o seu consumo está aumentando, cada vez mais, ao redor do mundo. Alguns estudos mostram que o glutamato monossódico pode causar intoxicação, pois o ingerimos em grandes quantidades. Além disso, ele pode alterar o metabolismo da fome e da saciedade,aumentando o apetite**, podendo também aumentar o risco de sobrepeso, pressão arterial e diabetes tipo II.***
    Percebam também que o produto ainda contém sal comum além do glutamato monossódico. Isso contribui para o aumento do sódio na porção, o que vocês vão ver mais adiante nas informações nutricionais.
  • Nem vamos falar sobre o aroma natural de fumaça! (?????) É adicionado aos alimentos aos quais se deseja conferir sabor de defumado. Encontramos também “aromas naturais” sem especificação e aroma natural de pimenta preta, vermelha e branca. Por que não colocam as pimentas de verdade, então?!

Peito de Peru Light Sadia

peito defumado sadia1
Peito de peru, água, sal, proteína de soja, sal com reduzido teor de sódio, açúcar, estabilizantestripolifosfato de sódio e polifosfato de sódio, aromatizante, antioxidante eritorbato de sódio, conservadornitrito de sódio, corante carmim.
  • Aquele blanquet foi a treva, então vamos olhar esse outro embutido da Sadia, o qual possui bem menos ingredientes. Esse não contém a maltodextrina, o glutamato monossódico e o aroma de fumaça! :)
  • Por outro lado, contém açúcar (por quê????) e outros diversos conservantes que praticamente todos os embutidos apresentam.
  • Um deles é o nitrito de sódio, presente em todos os embutidos analisados. A utilização do conservante nitrito de sódio (NaNO2), que está inteiramente ligado à quantidade ingerida em contato com substâncias do trato gastrointestinal, reage formando nitrosamina. Surge um metabólito carcinogênico (isso mesmo, pode causar câncer!), devido à temperatura e ao ambiente ácido. Por essa razão, deve ser reduzida a ingestão de nitritos os quais podem ser encontrados em alimentos defumados ou curados como carnes, peixes, linguiças e salsichas.****

Presunto Cozido Sadia

presunto sadia1
Pernil suíno, água, sal, proteína de sojamaltodextrina, estabilizantes tripolifosfato de sódio e polifosfato de sódio, espessante carragena, antioxidantes eritorbato de sódio, realçador de sabor glutamato monossódico, conservador nitrito de sódio, aromatizantes e aromas naturais de pimentas vermelha e preta.
  • No presunto da Sadia também não vemos muitas novidades boas. Continua a proteína de soja, a maltodextrina, o glutamato monossódico, o nitrito…. E esse tripolifosfato de sódio que também aparece em TODOS os embutidos! A capacidade de retenção de água da carne é melhorada através do uso de sais e fosfatos alcalinos. O sal e os fosfatos tais como o pirofosfato de sódio, o hexametafosfato de sódio e o tripolifosfato de sódio ajustam o pH do sistema e favorecem a expansão das fibras da proteína da carne, permitindo a hidratação das mesmas.*****

Chester Fatiado Perdigão

chester perdigão1
Carne de ave, água, proteína isolada de soja, sal, fécula, açúcar, regulador de acidez lactato de sódio, estabilizante tripolifosfato de sódio, espessante carragena, aromas naturais (com pimenta), antioxidante isoascorbato de sódio, conservador nitrito de sódio.
  • Não pense que mudando a marca, você encontrará aditivos diferentes. Até agora vimos a Sadia e passando para a Perdigão, encontramos praticamente os mesmos ingredientes. Felizmente não possui glutamato monossódico, mas os outros conservantes estão marcando presença. Fora que “carne de ave” é uma informação meio vaga, não acham?  O destaque na parte da frente da embalagem diz ser carne de peito, porém atrás eles não se comprometem dizendo que parte da ave é a utilizada… será que é peito mesmo?

Peito de Peru Light Seara

peito de peru seara1
Peito de peru, água, proteína isolada de sojaespeciarias naturais (cravo, pimenta vermelha, pimenta preta, noz moscada, canela e extrato de orégano, maltodextrina, sal, açúcararoma natural de fumaça, regulador de acidez lactato de sódio, antioxidantes eritorbato de sódio, estabilizantes tripolifosfato de sódio e polifosfato de sódio, espessante carragena, acidulante ácido lático, realçador de sabor glutamato monossódico, acidulante ácido cítrico, antioxidante ácido ascórbico, conservador nitrito de sódio, corante natural carmim de cochonilha.
  • Então passamos para a marca Seara e….GENTEEE o que é isso?! Pela embalagem parece que estamos prestes a consumir algo super light e saudável e quando lemos os ingredientes…SUSTO! Tem de tudo e mais um pouco! A única vantagem é a presença das especiarias naturais, mas vamos combinar que isso não compensa o uso de taaaantos aditivos alimentares!

Peito de Frango Light Seara

peito de frango seara1
Carne de frango, água, fécula de mandiocamaltodextrinaproteína vegetal de soja, especiarias naturais (pimenta branca, alho, cebola, cravo e extrato de orégano), sal, açúcar, regulador de acidez lactato de sódio, espessante carragena, antioxidantes eritorbato de sódio, acidulantes ácido lático e ácido cítrico, conservador nitrito de sódio e realçador de sabor glutamato monossódico.
  • O peito de frango é um pouco menos tenebroso quando comparado ao peito de peru, mas ainda assim apresenta muuuitos aditivos!
Olhando os ingredientes vocês podem perceber que não tá fácil pra ninguém, não é mesmo?! Como saber qual deles é o menos pior, com tanta porcaria nos ingredientes?
Como vocês já sabem, aqui nós sempre levamos em consideração as informações nutricionais para fazermos as análises. Então, bora lá!
INFORMAÇÕES NUTRICIONAIS
comparação informações nutricionais rótulos embutidos seara perdigão sadia
Obs: Padronizamos todos os produtos para 40 g, que representa em torno de 2 fatias, para fins de comparação.
  • CALORIAS: O produto menos calórico, acreditem, é o Presunto da Sadia! Ele era um dos poucos que não dizia LIGHT ou “baixo teor de gordura” na embalagem. Apresenta somente a descrição “sem capa de gordura”.  Todos os outros mais ou menos se equivalem na quantidade de calorias, sendo o mais calórico o Chester da Perdigão.
  • PROTEÍNAS: Queremos proteínas, afinal, estamos consumindo “carne” teoricamente… Os produtos que apresentam as maiores quantidades são os Peitos de Peru da Sadia e da Seara e o Chester da Perdigão. Mas, vamos lembrar que TODOS apresentam proteína de soja, que apesar de possuir um alto valor biológico, é de origem vegetal.
  • GORDURAS: Quanto às gorduras totais, encontramos uma grande diferença entre o Peito de Peru da Seara (0,2 g) e o Peito de Frango da Seara (1,2 g). As outras marcas ficam com os valores intermediários. Já nas gorduras saturadas, encontramos pouca quantidade (comprovando que as carnes aí passaram longe meesmo!). Infelizmente, somente 2 produtos apresentaram a quantidade degorduras mono e polinsaturadas, as quais, quando consumidas em quantidade adequada, fazem bem ao organismo.
  • SÓDIO: corram para as colinass!!!!!! TODOS apresentam muuuuito sódio!!! A legislação dos rótulos******, ainda considera 6 g de sal por dia o recomendado. Segundo as novas referências daOrganização Mundial de Saúde, esse valor passaria para 5 g/dia. Assim, se convertermos o percentual para a nova recomendação, os produtos apresentariam entre 15,7% (Blanquet e Peito de Peru Sadia) e 25,6% (Peito de Frango Seara) do valor máximo recomendado de sódio em uma porção (aproximadamente 2 fatias).  Ao fazer um sanduíche, o sódio do pão francês acrescenta mais 286 mg em média à soma sem contar com o queijo, por exemplo!
Os produtos Blanquet de Peru Sadia, Peito de Peru Light Sadia, Peito de Frango Seara e Peito de Peru Light Seara apresentam a palavra LIGHT na embalagem, com os dizeres “baixo teor de gordura, menor que 3%”. O peito de Chester não diz ser light, mas também fala em baixo teor de gordura.
Light é o termo utilizado em alimentos produzidos de forma que sua composição reduza em, no mínimo, 25% o valor calórico ou algum nutriente, tal como açúcar, gordura total, gordura saturada, colesterol e sódio comparado com o produto tradicional ou similar de marcas diferentes.
Nesses casos, os fabricantes não afirmaram na embalagem com quais produtos foram comparados.
Ranking do Fechando o Zíper (considerando ingredientes + informações nutricionais + embalagem):
 Peito de Peru Light Sadia
 Chester Fatiado Perdigão
 Presunto Cozido Sadia
 Blanquet de Peru Sadia
 Peito de Frango Seara
 Peito de Peru Light Seara
SAIBA MAIS: de onde surgiu essa “nhaca” toda?
A origem dos embutidos data de 500 a. C., com fabricação em escala artesanal ou familiar, o que resultou em um grande número de variedades associadas com os nomes dos locais onde eram produzidas, por exemplo, salame de Génova. Os embutidos podem ser classificados em três categorias gerais: frescos, cozidos ou defumados e secos. Em muitos destes, especialmente os secos e semisecos, o “bouque” é conseqüência de fermentação bacteriana, como as do tipo frankfurt. Os embutidos têm como principais ingredientes partes do animal pouco nobres e de difícil comercialização, sendo mais desejáveis aquelas com capacidade de retenção de água. A quantidade de água adicionada não deve ultrapassar 10% de quatro vezes a proteína de origem animal. Como agentes de cura são usados sal, nitratos e nitritos e açúcares. Também os condimentos e aditivos intencionais, os quais têm a finalidade de melhorar aspectos da qualidade tecnológica, se destacam como importantes ingredientes na produção desses alimentos*******.
Respondendo à pergunta da Carina: NÃO, eles não fazem bem para a nossa saúde! Só essa quantidade de sódio absurda já coloca a nossa saúde em risco, além dos milhares de aditivos alimentares. A escolha da sua família pelo Blanquet não é das melhores. O ideal é cortar isso da vida e ser feliz com uma geleia no pão, um mel, requeijão light, queijo quark… Todos os embutidos aqui ganharam notas baixas, em breve você poderá conferir um por um nas análises individuais de produto do site.
Fontes:
*Camargo, R. et al. Tecnologia de produtos agropecuários: alimentos. São Paulo: Nobel, 1984. 289 p.
**Fernandez-Tresguerres Hernandez JA. [Effect of monosodium glutamate given orally on appetite control (a new theory for the obesity epidemic)]. An R Acad Nac Med (Madr). 2005;122(2):341-55.
***Monosodium glutamate (MSG) intake is associated with the prevalence of metabolic syndrome in a rural Thai population. Tonkla T Insawang, Carlo C Selmi, … Bruce D BD Hammock Nutr Metab (Lond) 9(1):50 (2012).
****Santos, M.C.L. et al. Aditivos químicos potencialmente genotóxicos encontrados e alimentos vendidos em supermercados de São Luis (MA). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GENÉTICA, 54, 2008.
***** Olivo, R.; Olivo, N. O mundo das carnes. 4.ed., Criciúma: Editora do Autor, 2006. 214 p.
******Resolução RDC n˚ 360, de 23 de dezembro de 2003.
*******Hart, F. L. ; Fisher, H. J. Análises moderno de los alimentos. Espanha, Editoral Acribia, 1991, 61p


Assuntos: , , , , , , , , , , ,

0 comentários:

Postar um comentário