sexta-feira, 19 de abril de 2013

Postado por Vânia Barberan às 11:50    Sem comentários
http://portaldoconsumidor.wordpress.com/2011/09/14/qual-a-diferenca-entre-a-bebida-lactea-e-o-iogurte/


Embora os nomes sejam claramente distintos nas respectivas embalagens, as diferenças entre a bebida láctea e o iogurte não são óbvias, pois as embalagens são muito parecidas e os ingredientes praticamente os mesmos. Entretanto, apesar de semelhantes, a composição tem diferenças importantes como é possível observar no quadro abaixo:
* Se tiver dificuldade em visualizar,  clique  em cima da imagem.
Para entender melhor essas diferenças conversamos com a nutricionista Vânia Barberan, da Associação de Nutrição do Estado do Rio de Janeiro – Anerj, que ressaltou alguns aspectos que, na prática, tornam esses dois produtos muito distintos.
Como é possível perceber no quadro comparativo acima, o iogurte é basicamente um leite fermentado com bactérias benéficas ao nosso organismo, obtendo a sua consistência pela fermentação causada pelas bactérias, podendo ou não ser acrescido de polpa de fruta. Por outro lado, a bebida láctea contém até 51% de soro de leite acrescido de leite fermentado (iogurte), podendo ou não ter adição de polpa de fruta. No entanto, para ter a consistência do iogurte deve ter mais o acréscimo de amido de milho do que leite em pó, enquanto o iogurte mais acréscimo de leite em pó do que de amido de milho, explica a Nutricionista.
Considerando que há uma tendência recente da sociedade em destacar os aspectos funcionais dos alimentos – que são aqueles que agregam algum valor a mais do que somente nutrir o indivíduo – pedimos a Vânia Barberan para nos explicar as diferenças desses dois produtos nesse sentido.  Ela nos explicou que o iogurte e a bebida láctea não são considerados funcionais. No caso do iogurte,Vânia esclarece que apesar de conter microorganismos benéficos para o intestino, eles não estão em quantidade viável para colonizar o mesmo. A quantidade de Lactobacilos presentes na bebida não é tão significativa e não há a garantia deles estarem viáveis para a colonização, após passar pelo nosso trato intestinal. “No entanto, com o consumo diário por um tempo mínimo de 1 mês tem demonstrado que há uma melhora na qualidade da microbiota intestinal” (flora intestinal), afirma.
Em relação à bebida láctea, ela comenta que não é considerada funcional e nem teria como usar esse apelo, uma vez que até pouco tempo era considerada dejeto da fabricação do queijo. “No entanto, a quantidade de proteínas presente é significativa, e tem valor nutricional e calórico inferior ao iogurte”, garante Vânia.  Assim, o iogurte pode ser considerado mais saudável, já que quando nos propomos a consumi-lo não estamos pretendendo consumir soro ou amido de milho e sim uma boa quantidade de bactérias benéficas ao nosso organismo.
Para os leitores que estão querendo perder uns quilinhos e se animaram com o baixo valor calórico da bebida láctea, a nutricionista alerta que “quando pensamos em emagrecimento pensamos em mudança de hábitos, se o indivíduo não consome alimentos saudáveis ele engorda, ao passar a consumir alimentos saudáveis ele tende a manter o corpo com uma boa distribuição. O nutricionista deve fazer o papel de um companheiro nessa nova jornada de escolhas para uma vida mais saudável e longa.” Nesse contexto, ela não sugere a bebida láctea e destaca que o melhor iogurte é o caseiro, pois não leva nenhum conservante, aromatizante, corante, amido de milho, leite em pó, e a fruta pode ser a derivada de uma geléia, ou seja, é natural. “Bebida láctea não conseguimos fazer em casa. Uso muito esse critério como escolha por alimentos saudáveis: para e pense um produto que você consegue reproduzir em casa, é sempre mais saudável que o comprado pronto,” defende a nutricionista.
Além de destacar os benéficos para a saúde, trazidos pelo iogurte caseiro, Vânia afirma que é muito simples fazê-lo em casa, mesmo sem ter uma iogurteira, e para provar como é simples nos enviou a receita que reproduzimos abaixo.
Agora que conhece a diferença entre esses produtos você pode fazer sua escolha. Mas, fica a recomendação da Vânia Barberan: “A ANVISA determina que os ingredientes sejam descritos por ordem de quantidade, se encontramos um produto a base de leite e que o primeiro item descrito é soro de leite, e não leite em pó, talvez tenhamos que pensar sobre o que queremos consumir.”
Receita enviada da Nutricionista Vânia Barberan
1 litro de leite integral – qualquer tipo, saquinho, longa vida, pasteurizado – até 37º ou como se fosse preparar uma mamadeira de neném. Sugiro usar um pirex e colocar o leite na temperatura ambiente, no microondas por 1 minuto, homogeneizar e virar 1 copo de iogurte integral natural – de preferência com a data de validade mais próxima da fabricação, pois queremos uma quantidade maior de fermentadores vivos, misturar e deixar fora da geladeira por 8 a 12h coberto com 1 pano de prato em local arejado – não cubra com filme plástico, nem com tampa, pois precisa ter oxigenação. Quando estiver na consistência desejada pode tampar e guardar na geladeira, o rendimento é de 1L e 200ml o custo é muito mais barato. “A proposta de consumo é com 1 colher de geléia de fruta ou com mel e granola ,ou com aveia, ou como tempero de salada, ou substituindo o leite nas preparações caseiras, e mais aonde quiser”, comenta Vânia.
Por Bianca  Reis.

Assuntos: , ,

0 comentários:

Postar um comentário