sexta-feira, 19 de abril de 2013

Postado por Vânia Barberan às 12:52    Sem comentários

Alimentar-se bem é sinônimo de saúde. E o cuidado com as refeições tem peculiaridades para pessoas cujo trabalho envolve viagens constantes para cidades, regiões e países diferentes. Pilotos, comandantes e comissários de bordo costumam ter uma rotina corrida e apertada e precisam redobrar os cuidados à mesa. É o que recomenda a nutricionista clínica e colaboradora da Associação de Nutrição do Estado de Rio de Janeiro (ANERJ), Vânia Barberan. "Acho ótimo que os profissionais da aviação se preocupem em ter uma dieta saudável. Se as empresas em que trabalham possuem nutricionistas, ótimo", reforça.
A dieta ideal, nesses casos, precisa ser rica em nutrientes, cereais e legumes e deve conter porções de carboidratos e saladas, para combater o horário desregrado e a fadiga. O Ômega 3, rico em ácido graxo essenciais para o corpo, pode ser encontrado em peixes como salmão, atum, sardinha e truta. Para os pilotos, esse tipo de nutriente melhora a circulação sanguínea e controla o colesterol. A dica de Vania é que, se não for possível comer peixe semanalmente, os profissionais consumam a "gordura do bem" em forma de cápsulas.
Castanhas do pará e de caju, amêndoas e nozes podem ser ingeridas diariamente para dar mais energia e disposição, pois possuem fibras, ferro e proteína em grandes quantidades. Proteínas vegetais, como o tofu, alimentos à base de soja, grão de bico, feijão e quinua auxiliam na recuperação de células e tecidos e produzem hormônios e enzimas, o que fortalece o desenvolvimento do sistema imunológico.
Nutrir-se de forma saudável é uma das preocupações de Augusto Vaz, comandante da Gol Linhas Aéreas. Aos 51 anos, além de pilotar, é atleta amador e tem energia de sobra para competir em provas de triatlo (natação, corrida e ciclismo) e maratonas. A alimentação balanceada é uma forte aliada aos cinco treinos semanais, paralelos à carreira. "Na minha profissão, o desgaste é muito mais físico do que mental. Fazer exercício é importante para cuidar da saúde", completa Vaz. Como costuma estar em cidades diferentes em um mesmo dia, costuma levar o que come de casa: frutas, granola, aveia, salada e suplementos proteicos.
Com a mudança constante de horários, costuma exercitar-se à tarde ou na parte da noite. Vaz tenta evitar alimentos fritos e gordurosos, assim como açúcar em excesso a todo custo. Cortou o refrigerante de sua dieta há alguns anos e bebe apenas água ou suco de frutas. Comer a bordo já se tornou rotina para o comandante: geralmente, consome almoço ou jantar elaborados por nutricionistas da companhia aérea – pratos que são diferentes dos servidos aos passageiros. Quando não consegue parar para se alimentar durante o voo, opta por uma barra de cereal. Antes de entrar na cabine, evita comidas pesadas, como maionese, para não correr o risco de passar mal durante o trabalho.
Nas horas que antecedem a viagem, prefere matar a fome com salada de folhas - como alface, rúcula e agrião - e tomate. O jantar ideal para Vaz é composto por pouco carboidrato, carne magra grelhada e bastante salada. À noite, procura não comer muito para ter um sono melhor e descansar totalmente. Apaixonado por carne branca, especialmente por peixe, o comandante acredita que a "comida viva", proveniente da natureza, é a forma mais sadia de se alimentar: "Se você tira da natureza e pode consumir, é a melhor coisa que tem. São alimentos que contêm nutrientes naturais", afirma.
Segundo Vânia, a nutrição do responsável pelo comando de voos da Gol é bastante completa e sadia. Por ser também atleta nas horas vagas, a nutricionista recomenda que a distribuição desses componentes alimentares seja balanceada ao longo do dia e que o consumo de Ômega 3 seja feito em forma de vitaminas, pois Vaz treina ao longo da semana: "Como ele é atleta, é o que chamamos de 'indivíduo inflamado'. Ao exercitar bastante os músculos, estes ficam doloridos, e é aí que os ácidos graxos entram, como auxiliares dos processos inflamatórios do exercício fisico".
Vânia aprova as saladas no cardápio da tripulação, mas sugere que seja ingerida com parcimônia. O problema, explica, é que os vegetais geralmente não nutrem o suficiente. Aipim, inhame e batata doce são ricos em fibras e podem substituir arroz ou massa, pois demoram mais a ser digeridos e são fonte de energia permanente. A sobremesa perfeita seria o chocolate acima de 70% de cacau, que contém serotonina, que ajuda a ter um sono reparador.
Cartola – Agência de Conteúdo

Assuntos: , , , ,

0 comentários:

Postar um comentário