segunda-feira, 20 de maio de 2013

Postado por Vânia Barberan às 14:58    Sem comentários

Esse é um trabalho muito bem feito nutricionistas, vale a pena ler e entender como funciona o mundo dos alimentos industrializados, abaixo está o link e a matéria.

Sabe aquela hora na qual dá uma correria e você não tem tempo de cozinhar algo? Muitas vezes os alimentos congelados são a solução milagrosa: rápidos, gostosos e prontos para o consumo. Não precisa nem sujar panelas!
Mas, será que eles não precisam de muitos aditivos alimentares para se manterem gostosos? Será que a composição nutricional vai nos agradar?
Duas leitoras enviaram fotos desses produtos:
“Comprei esse produto de Sadia semana passada, e gostaria de saber mais se ele realmente é saudável. Fiquei meio chocada com a quantidade de sódio.” Bruna
“Aqui no Rio a mais nova moda “pseudossaudável” é a linha sabor e equilíbrio da Sadia. Digo “pseudo” porque normalmente congelados são carregados de sódio e conservantes, né? Fui dar uma olhada nos ingredientes e – seguindo os ensinamentos de vocês – fiquei cabreira com o risoto multigrãos pq os multigrãos só aparecem láááá pra frente…. Tirei fotos no mercado pra ver o quê vocês me dizem. E aí? É uma opção saudável de prato congelado?” Biessa
E agora?! Vamos dar aquela averiguada nas informações nutricionais e ver se as alegações das embalagens conferem:
sadia sabor e equilibrio comparação informação nutricional

“Baixo teor de gorduras totais” e “Baixo teor de gorduras saturadas”

Essas alegações estão corretas. Segundo a legislação*, para ser considerado um alimento com valor baixo de GORDURAS TOTAIS, ele deve apresentar, no máximo, 3 g em 100 g do produto. Para ser baixo em GORDURAS SATURADAS, deve apresentar até 1,5 g por 100 g de produto. Apesar de cumprir esse requisito, para nós, quanto menos, melhor!
Devemos lembrar que as gorduras saturadas aumentam o risco de dislipidemias (aumento da gordura no sangue, principalmente colesterol e triglicerídeos) como também de doenças cardíacas. As principais fontes são alimentos de origem animal (manteiga, banha, toucinho e carnes e seus derivados, leite e laticínios integrais), embora alguns óleos vegetais sejam ricos nesse tipo de gordura (óleo de coco). Essas gorduras são prejudiciais à saúde. É recomendável que o total de energia da alimentação fornecido pelas gorduras saturadas seja menor do que 10%.**

“ZERO gordura trans”

Não podemos ter certeza dessa informação, pois existem 2 ingredientes (molho de soja e caldo de frango) os quais não descrevem a sua composição.

“Baixo teor de colesterol”

Cumpre essa alegação, pois, para ser considerado com baixo teor de colesterol, o produto deve apresentar no máximo 5 mg de colesterol / 100 g.
Cadê a alegação que aponta para a quantidade de SÓDIO?
Ambos apresentam mais da METADE do sódio que deve ser consumido em UM DIA, considerando as novas recomendações da Organização Mundial de Saúde de no máximo 5 g de sal por dia. Isso é muuuito! O consumo de sal (cloreto de sódio), de todas as fontes (adicionado às preparações caseiras ou o utilizado no processamento de alimentos e preparações industriais), deve ser limitado de maneira a reduzir o risco de doenças coronarianas.** Além disso, encontramos o molho de soja, o qual geralmente apresenta sal.
Contém fibras! :)
O risoto Primavera apresenta 3,7 g de fibras, o que representa 15% da quantidade a qual devemos consumir diariamente. O Multi-grãos apresenta valor muito semelhante (3,6 g de fibras = 14%). A quantidade de fibras do multi-grãos poderia ser maior se esse tivesse começado pelo arroz vermelho, centeio e cevada ao invés de arroz parboilizado.
Por que colocar AÇÚCAR em um alimento salgado?
E não é pouco açúcar! Ao contrário do que está escrito no rótulo, não é ZERO do valor recomendado por dia. O fabricante, inclusive, deveria ter informado o %VD com dois asteríscos e, ao final colocar a legenda “**valores diários não estabelecidos”, pois a legislação* não fornece o valor diário de referência para açúcar. Mas, a quantidade de açúcar simples adicionado não deve ser superior a 10% das calorias totais do dia segundo a Resolução RDC n˚ 360, de 23 de dezembro de 2003.
Vamos dar uma olhadinha nos ingredientes:
sadia risoto primavera
  • Infelizmente, apresenta muitos aditivos: amido modificado, estabilizantes e espessante.  
  • Não gostamos também de não estarem discriminados os ingredientes do molho de soja.
  • Um aspecto positivo é o arroz e o frango estarem em maior quantidade do que os outros ingredientes. O fato do arroz ser parboilizado significa que é melhor do que se fosse branco, por manter as propriedades dentro do grão.
  • Gostamos também de encontrar ingredientes naturais, tais como milho, cebola, cenoura, alho, gengibre, etc. 
sadia frango e vegetais
  • Apresenta brócolis (ingrediente em maior quantidade depois da água), cenoura, milho, quinoa, arroz multigrãos, cebola, alho, gengibre…. Adoramos!
  • Não gostamos de não saber a composição do molho de soja, nem do caldo de frango!
  • Se espera, assim com a leitora comentou, encontrar o arroz multi-grãos nos primeiro lugares, no entanto ele está láaaa perdido em, no mínimo, NONO lugar! Ao invés disso, encontramos o arroz parboilizado em terceiro lugar. Por que não o arroz multi-grãos que dá nome ao produto? Se fosse ao contrário, a quantidade de fibras do produto seria ainda maior! 14% da quantidade diária de fibras não está ruim, mas imagina o quanto estamos perdendo?!
  • Acréscimo de “gordura de frango”: para quê?! Quanto menos acréscimo de gordura, melhor! A nossa saúde agradece ;) Ainda mais que essa é saturada…
  • Encontramos também muitos aditivos e ainda o corante caramelo IV.
Saiba mais sobre o corante caramelo IV:
Não simpatizamos muito com esse corante!
Foi divulgado pela entidade de desfesa ao consumidor dos EUA (CSPI) que a substância 4-metilmidazol (4-MEI), formada a partir da utilização de amônia e sulfitos na produção do corante, é supostamente cancerígena. O estudo foi feito em ratos e ainda não foi comprovado em humanos. Mas, é sempre bom estar atento!
No Brasil, bem como mundialmente, os corantes caramelos estão aprovados como aditivos alimentares em diversos alimentos, respeitando-se as condições específicas de uso. O uso de corantes caramelos em bebidas não alcoólicas é permitido em quantidade suficiente para atingir o efeito tecnológico desejado e é auto limitante por razões tecnológicas e organolépticas, como sabor e cor.
A ANVISA considera que, até o momento, não existem evidências científicas que justifiquem alterar o status da aprovação de uso do corante Caramelo IV na legislação sanitária brasileira de alimentos, tampouco a obrigatoriedade de advertência sobre eventual periculosidade deste aditivo alimentar. Mas, se mantém preparada para adotar as ações necessárias no Brasil, caso qualquer evidência aponte que os níveis encontrados desse corante representem um risco à saúde humana.****
Apresentam Amido Modificado. O que é isso?
O amido se torna modificado quando sofre algum tratamento físico, químico ou enzimático com o objetivo de alterar uma ou mais das suas características originais. Quando no rótulo apresentar “amido modificado”, significa que essa modificação foi feita quimicamente, caso contrário, aparecerá somente como “amido”. É utilizado para conferir consistência e estabilidade ao produto.***

O que é o ARROZ PARBOILIZADO?

O estranhamento começa no nome: parboilizado. O adjetivo vem do inglês parboiled, que junta partial e boiled para expressar a ideia de parcialmente fervido.
Na verdade, até tentaram emplacar no Brasil o nome mais saboroso de “pré-cozido”, vetado pelo Ministério da Agricultura. Acontece que cozinhar é uma coisa, parboilizar é outra. Mais especificamente, é imergir o arroz em água aquecida a uns 50°C. Esse processo faz com ele mantenha os nutrientes do arroz integral (vitamina B, magnésio, fósforo e potássio) e, de brinde, ainda cozinhe um pouco mais rápido que o tradicional arroz branco.
Um arroz que é mais fácil de preparar, mais nutritivo e tem quase o mesmo gosto do branco. E mais caro, claro, uns 20% no saco de 5 quilos. Mas há quem defenda uma economia final, como a pesquisadora de marketing nutricional da USP, Bianca Bitencourt. “O pré-cozimento diminui o índice de grãos quebrados, compensando, de certa forma, o maior custo industrial.”*****

Concluindo….

Esses produtos possuem MUITO sódio, mas muito meeesmo! Como eles vêm em porções individuais, deve-se tomar muito cuidado! Eles também apresentam conservantes (esperávamos menos por ser um produto congelado) e açúcar, que nem precisariam estar ali. Ainda não analisamos outros pratos congelados, mas podemos afirmar que não é uma opção saudável só pela quantidade absurda de sódio na porção.
A legislação dos rótulos******, ainda considera 6 g de sal por dia o recomendado. Segundo as novas referências da Organização Mundial de Saúde, esse valor passa para 5 g/dia. Assim, se convertermos o percentual para a nova recomendação, esse produto tem 59% do valor máximo recomendado de sódio em uma porção.
Preparar a refeição em casa e congelar ainda é a melhor solução aos congelados industrializados!
Fontes:
*Portaria nº 27, de 13 de janeiro de 1998.
**Guia alimentar para a população brasileira – Ministério da Saúde, 2006.
***RDC nº 259, de 20 de setembro de 2002.
****ANVISA – Informe Técnico nº. 48, de 10 de abril de 2012.
******Resolução RDC n˚ 360, de 23 de dezembro de 2003.


Assuntos: , , , ,

0 comentários:

Postar um comentário